Líder quilombola em Garanhuns diz a ministra da Igualdade Racial que recebe ameaças racistas.


Monte horebe supermercado, Paranatama

Segundo José Carlos, as intimidações começaram quando ele assumiu associação. Foto: Anamaria Nascimento/DP/D.A Press

Segundo José Carlos, as intimidações começaram quando ele assumiu
associação. Foto: Anamaria Nascimento/DP/D.A Press.

Do Diário de Pernambuco

No dia em que a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, veio ao Recife para um encontro nacional de enfrentamento ao racismo, um relato do representante da Comissão Estadual de Comunidades Quilombolas e presidente da Associação da Comunidade Quilombola de Castainho, José Carlos Lopes, mostrou que Pernambuco ainda está distante do ideal quando o assunto é preconceito racial.

O líder está há 50 dias afastado da comunidade onde nasceu e vive sob proteção policial no Recife desde que começou a receber ameaças anônimas e xingamentos de cunho racista. A ministra garantiu que vai acompanhar a situação do homem que defende os direitos das 400 famílias que vivem em Castainho, Garanhuns, no Agreste. “Precisamos superar a sensação de perplexidade e pensarmos em como devemos agir”, pontuou a ministra.

Publicado em maio 10, 2014, em AGRESTE NEWS, AGRESTE NEWS REVISTA, Noticias de Garanhuns, Noticias de Paranatama, Noticias de Paranatama e Região e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: